Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada

Quem é a RAISG?

A Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada é um consórcio de organizações da sociedade civil dos países amazônicos, voltado para a sustentabilidade socioambiental da Amazônia e apoiado pela cooperação internacional.

Clique e saiba um pouco mais sobre a história da Rede que nasceu para ajudar a cuidar da Amazônia e mudar o destino do nosso planeta.

O que a RAISG faz?

A RAISG gera e divulga conhecimentos e Informações Socioambientais Georreferenciadas.

Que possibilitam a visualização integral da Amazônia e das ameaças e pressões que pairam sobre ela.

Que servem como informes de inteligência para que a Amazônia seja melhor conhecida, apreciada e cuidada.

Existem narrativas e mapas que só quem conhece a Amazônia por dentro pode fazer. Clique e veja.

Por que a RAISG faz o que faz?

Porque a RAISG acredita que…

  • A Amazônia é um organismo integral, compartilhado por oito países e uma província francesa na América do Sul, benéfico para todos os habitantes do planeta;
  • A Amazônia ostenta uma enorme diversidade socioambiental e é um patrimônio estratégico tanto para o ambiente tropical da América do Sul, quanto para o equilíbrio do clima na Terra;
  • O ambiente amazônico deve ser entendido e planejado de forma integrada, transfronteiriça e holística para fortalecer os valiosos serviços socioambientais que a Amazônia presta para a humanidade;
  • As visões sobre o futuro da Amazônia significam uma disputa de paradigmas, tornando vitais informações e conhecimentos capazes de incidir a favor de políticas públicas sustentáveis na região;
  • Os atores que vivem e atuam na Amazônia têm interesses diferentes, que devem ser harmonizados;
  • Os mais de 40% do espaço amazônico que são Territórios Indígenas e Áreas Naturais Protegidas desempenham um papel fundamental na prestação dos serviços socioambientais e na sustentabilidade da Amazônia;
  • É necessário superar abordagens fragmentadas e promover iniciativas e processos integrados, regionais, nacionais e internacionais, que contribuam para o  fortalecimento dos TIs, ANPs e toda a Amazônia.

A floresta amazônica e os seus habitantes fazem muito mais pelo planeta do que você imagina. Veja e descubra.

Como a RAISG faz?

A RAISG atua como uma organização colaborativa de intercâmbio, articulação e difusão de conhecimentos e Informações Socioambientais Georreferenciadas (ISG), a serviço de processos que vinculem positivamente os direitos coletivos das populações locais com a valorização da diversidade socioambiental da Amazônia.

Quem faz?

A RAISG é resultado da cooperação de oito organizações da sociedade civil que trabalham em seis países amazônicos: Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela.

EcoCiencia – Fundação Equatoriana de Estudos Ecológicos é uma entidade científica privada e sem fins lucrativos, que por mais de 25 anos tem se dedicado a gerar informação de qualidade para o manejo sustentável de recursos e para a tomada de decisão, em aliança com governos, organizações comunitárias e ONGs locais para apoiar a conservação da biodiversidade e o bem-estar da população.

FAN – Fundação Amigos da Natureza é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos, com 27 anos de experiência implementando ações de conservação e manutenção do Patrimônio Natural da Bolívia. Desenvolvemos e promovemos com sustentação técnico-científica caminhos inovadores de desenvolvimento integral e sustentável, mantendo nosso compromisso com a conservação da Natureza.

FGA – Fundação Gaia Amazonas é uma ONG colombiana que trabalha desde 1990 com as comunidades e organizações indígenas, para o exercício de seus direitos e para a conservação da floresta amazônica. As principais linhas de ação são: ordenamento territorial, direitos e legislação indígena, educação e saúde intercultural, fortalecimento cultural e linguístico, e projetos produtivos.

IBC – Instituto do Bem Comum é uma associação civil peruana sem fins lucrativos, fundada em 1998, cuja preocupação central é a melhor gestão dos bens comuns. O principal objetivo do IBC é produzir e difundir conhecimentos teóricos e práticos sobre as diferentes formas de posse e manejo de bens e espaços comuns no Peru.

Imazon – Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia é um instituto de pesquisa, cuja missão é promover o desenvolvimento sustentável na Amazônia brasileira através de estudos, apoio à formulação de políticas públicas, de difusão ampla de informação e formação profissional.

ISA – Instituto Socioambiental é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), brasileira, autônoma e sem fins lucrativos, cujo principal objetivo é defender bens e direitos sociais, coletivos e difusos relativos ao meio ambiente, ao patrimônio cultural, e aos direitos humanos e dos povos. Fundado em 1994, com a missão de propor soluções integradas aos problemas sociais e ambientais.

Provita – é uma associação civil venezuelana sem fins lucrativos, fundada em 1987, dedicada à conservação do ambiente em seu sentido mais amplo, com ênfase em espécies e ambientes ameaçados, combinando para isso vários campos do conhecimento na busca de soluções integrais. O modelo de trabalho da organização inclui explicitamente as comunidades humanas, por considerar as pessoas como fonte das soluções e desafios ambientais.

O Grupo de Trabalho Socioambiental para a Amazônia – Wataniba foi fundado em 2005 visando a promoção e defesa dos Povos Indígenas da Amazônia venezuelana. Promove processos de destão territorial socioambientalmente sustentáveis, fortalecendo a capacidade técnica e identitária dos povos que habitam a Amazônia, desenhando junto con eles políticas públicas coerentes con os direitos sociais e ambientais amplamente reconhecidos na legislação venezuelana.

História

  • 1988

    1988

    Criado o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas- IPCC, organização científico-política no âmbito da ONU, por iniciativa do PNUMA e da OMM.

  • 1990

    1990

    IPCC: publicado primeiro relatório (FAR)

  • 1992

    1992

    Conferência da ONU sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (Eco-92 ou Cúpula da Terra), no Rio de Janeiro.

  • 1995

    1995

    IPCC: publicado segundo relatório Climate Change 1995 (SAR)

  • 1996

    1996

    1ª. Reunião da REDESIG, precursora de RAISG, realizada em São Paulo, teve a participação de: CENAMB (Venezuela); CIDDEBENI, CPTI e CIMAR (Bolivia); CDC (Ecuador); ENGREF (Guiana Francesa); ISA e FVA (Brasil); NARENA/CELOS (Suriname); OXFAM (Peru) e UG (Guiana)

  • 1998

    1998

    Criação da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), institucionalizando o Tratado de Cooperação Amazônica (TCA).

  • 2000

    2000

    Lançamento da Iniciativa de Integração da Infraestrutura Regional Sul-americana – IIRSA.

  • 2001

    2001

    IPCC: publicado terceiro relatório Climate Change 2001 (TAR)

  • 2002

    2002

    Seminário técnico da REDESIG para elaborar o mapa Desafio Socioambiental da Amazônia, apresentado na Rio+10 (Johannesburgo). Participaram: CPTI (Bolivia); FOIRN, FVA e ISA (Brasil); Gaia-Amazonas (Colombia); EcoCiencia e Fundación Natura (Ecuador); DIREN (Guyane Française) e IBC (Perú).

  • 2007

    2007

    IPCC: Publicação do quarto informe de mudanças climáticas (AR4)

  • 2007

    2007

    Fundação da RAISG – Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada, em reunião realizada em São Paulo em novembro.

    Participaram 22 pessoas de 12 instituições: FAN (Bolivia); ISA, Imazon e ICV (Brasil); Gaia Amazonas, IDEAM e Sinchi (Colombia); EcoCiencia (Ecuador); IBC e AIDESEP (Perú); DIREN (Guyane Française); IVIC (Venezuela).

  • 2008

    2008

    Reunião anual e técnica da RAISG realizada em Quito, focada em compatibilizar e integrar as bases de dados dos países e em estabelecer protocolos.

  • 2009

    2009

    Publicação: MAPA DA AMAZÔNIA 2009: Áreas Protegidas e Territórios Indígenas.

    Capacitação da equipe técnica de RAISG na metodologia SAD de avaliação do desmatamento. Realizada pelo Imazon em Belém do Pará.

  • 2010

    2010

    Primeiro Plano Estratégico RAISG 2010-2012.

    Capacitação na metodologia CLASlite de avaliação do desmatamento para a equipe técnica da RAISG, realizada pelo Carnegie Institute em Bogotá.

  • 2012
  • 2013

    2013

    Segundo Plano Estratégico RAISG 2013-2015.

  • 2014

    2014

    IPCC: Publicação do quinto informe de mudanças climáticas (FAR).

  • 2015
  • 2016

    2016

    Oficina inicial de trabalho da colaboração /COICA/EDF/WHRC para o projeto “Territórios Indígenas Amazônicos: conhecendo e respondendo aos riscos da perda de floresta”. Realizado em Quito.